Folhas de Ouro
11 de Setembro de 2018
(assista esse vídeo no YouTube)

Obrigado Senhor, pelo tremendo presente que deu ao seu corpo: sua própria mãe. Por favor, ajude-nos a conhecê-la e apreciá-la como a Embaixadora do Seu Coração, o que ela realmente é.

Bem, cerca de 25 anos atrás, estávamos tendo um grupo de oração do rosário em Jacksonville, Flórida. E o Senhor apareceu. E eu lhe perguntei: “Senhor, qual é o seu coração para este grupo esta noite?”

Ele disse: “Diga-lhes, meu coração espera. Meu coração espera. Eu fiz tudo por você. Dei tudo por você. Agora tudo o que resta é a sua resposta. Meu coração espera.”

Assim como de lado, isto foi logo depois do Natal e todos nós estivemos ocupados com ‘muitas coisas’ como Nosso Senhor uma vez disse a Marta.

Ele continuou: “Quando você chega em casa do trabalho à noite, eu estou O esperando. Enquanto você assiste a televisão, eu estou O esperando. Enquanto você conversa com os amigos no telefone e faz compras, eu estou O esperando. Enquanto você lê o jornal e adormece, estou O esperando. Meu Coração espera pacientemente por apenas um relance de você em Minha direção “.

Soa familiar, Moradores do Coração? Ele não está mudando. Ele é o mesmo sempre. Ontem, hoje, amanhã e sempre. Ele falou conosco sobre isso antes.

De qualquer forma. Mais tarde, durante o Rosário, uma luz celestial brilhante apareceu na sala iluminando tudo. Isso estava no espírito. Esta não era uma coisa física que todos pudessem ver. Algumas pessoas viram isso.

Os raios de luz eram de um branco iridescente, entremeados de ouro, e no meio dessa glória estava Nossa Senhora de Fátima sorrindo para mim. Eu mudei meu olhar para o Imaculado Coração dela. Transformou-se como perfeitas rosas vermelhas de todos os matizes imagináveis, multiplicadas e derramadas, formando uma contínua cascata de rosas. Eles floresceram espontaneamente, emitindo uma doçura inebriante.

Que visão era essa!

De repente, no final deste fluxo perfumado surgiu a Palavra de Deus, as Sagradas Escrituras, no fogo com luz dourada. Então Nossa Senhora falou comigo, segurando a Bíblia aberta nas mãos dela.

Ela disse: “Esta é a doçura de Deus”.

E me foi dada a entender que muitas palavras doces e preciosas são faladas para nós através de Jesus em Sua Palavra. Eu me lembrei do tempo em que ainda estava na escuridão e peguei uma Bíblia para ler. Para mim, era apenas um livro e fazia pouco sentido. Mas no dia seguinte à minha conversão, ela se tornou viva; meu coração foi parado em suas trilhas pela beleza de apenas uma frase.

Então a Mãe Santíssima reuniu uma seção de páginas em seus dedos e abanou-as. Eles apareceram como multidões de folhas douradas, brilhando como “ouro puro, transparente como vidro”.

Ela começou a falar: “Estas são as promessas de Deus para o Seu povo e elas são preciosas, preciosas e preciosas”.

Depois disso, as Escrituras se transformaram em uma espada de raio que ela estendeu para mim em suas palmas abertas.

“Este é o instrumento de cura de Deus”, disse ela.

Também estava implícito que ele tinha o poder de curar e o poder de matar, tanto o mal da vontade própria como os anjos das trevas que trabalham contra os planos de Deus.

Como está escrito nas Escrituras: “Pois, na verdade, a Palavra de Deus é viva e eficaz, mais penetrante do que qualquer espada de dois gumes, penetrando até entre alma e espírito, juntas e medulas, e capaz de discernir reflexões e pensamentos do coração.”

E é aí que meu comentário começa para o grupo.

Então, qual é a nossa resposta? Como devemos responder a esses belos ensinamentos dados a nós por Nossa Senhora e Nosso Senhor?

Em primeiro lugar…

E eu digo isso, você sabe, olhando para trás. Eu tenho que dizer que a Escritura, em parte, veio para ela também. Porque ela deu à luz ao Senhor e deu à luz o Novo Testamento.

Primeiro de tudo, Jesus está esperando por nós. Ele está nos pedindo para desistir das muitas atividades que preenchem nossas vidas e tiram dele. Ele está nos pedindo para reduzir o escambo dos nossos horários, para ser menos curioso sobre coisas mundanas, TV e notícias. Ser menos fascinado com shoppings e adquirir bens mundanos que podem ser roubados por ladrões, devorados por mariposas – mas com certeza ficarão em chamas no final. Estar menos envolvido em longas conversas que podem se tornar sessões de fofoca, sem mencionar a ofensa feita a Nosso Senhor e Sua Mãe, quando nos esquecemos da caridade.

Todos nós temos fome de felicidade, paz e prazer. Mas, tantas vezes quanto bebemos nossas coisas mundanas, sabemos por experiência o que é doce quando começamos a absorvê-lo e logo se torna amargo e chato no dia seguinte. Todas as coisas deste mundo e o prazer que elas trazem desaparecem.

Mas a Palavra do Senhor e Sua doçura durarão para sempre.

Quando a festa acabou, todo mundo foi para casa e você ficou sozinho … muito, muito sozinho. Doente, confuso, necessitado – sem bugiganga, sem comida ou bebida, nem mesmo a pessoa mais próxima de você pode tirar o vazio interior. É quando você está pronto para receber a doçura de Deus. É quando a Sua Palavra falada se torna um perfume que se espalha, que aquieta, acalma e cura nossa ferida interior. Essa é a doçura de Deus.

Nesta bela imagem de “folhas de ouro”, Nossa Senhora fala das promessas de Deus para nós. Que tipo de rei ou rainha deixaria sua coroa em um lugar comum onde poderia ser roubada? Não, quando não está sendo usado, ele é guardado com segurança e chave e a guarda real. Quanto mais devemos proteger essas promessas no santuário de nossos corações?

E esta é a exortação de Nossa Senhora para nós, pois está escrito:

“Maria manteve todas essas coisas, refletindo sobre elas em seu coração.”

Ela valorizou estas palavras, pois elas são as Palavras da Vida Eterna.

Todos nós ouvimos a história do velho avarento que mantinha um tesouro escondido. Ele frequentemente trancava as portas, tirava as persianas e tirava seu tesouro, examinando cuidadosamente cada moeda dourada; Empilhando, contando e recontando sua loja de tesouros.

Quanto mais deveríamos nós, confiados com as preciosas promessas de Deus, remover o telefone, trancar as portas, entrar em nossos armários de oração e mergulhar com Jesus e Sua Palavra, ponderando em nossos corações os infinitos tesouros celestiais que Ele deixou de lado para nós e todos aqueles que o amam? Quanto mais devemos desejar ponderar e nos alimentar da Palavra de Deus?

E finalmente, Nossa Senhora apresenta as Escrituras para nós como uma espada. Uma Espada da Vida, uma realidade imutável em um mundo de ideias e moral que são como bolsões de areia movediça, escondidos nos mares inconstantes do humanismo secular e do paganismo. A doçura e as promessas de Jesus são como o anestésico que nos prepara para a cirurgia; as Escrituras, como o bisturi que remove o câncer.

O Espírito Santo é o cirurgião consumado que permanece conosco para sempre. Ele está lá na sala de recuperação, juntando todas as peças certas novamente e trazendo todas as que estavam faltando. Ele é Aquele que nos tira de nossas cadeiras de rodas e começa a terapia pela qual recuperamos nossa capacidade de andar no poder de Deus com um coração novo e purificado, para uma vida nova e renovada.

Mas nenhuma dessas graças será útil a você ou a mim, a menos que respondamos, colocando em prática o que nos foi mostrado. Quão triste será naquele dia, quando o Trono do Juízo estiver diante de nós e é a nossa vez de fazer uma contabilidade das muitas graças e luzes que nos foram concedidas. Se não respondermos a este pedido de Nossa Senhora e Nosso Senhor, venha a Ele agora e seja renovado, purificado e fortalecido.

Quão belas são as recompensas e bênçãos para aqueles que respondem, deixando de lado suas atividades mundanas e dedicando mais tempo ao seu Salvador, à Sua doçura, às Suas promessas, à sua cirurgia e à reordenação de suas vidas.

Vamos refletir sobre estas palavras: “Meu único viverá pela fé e se ele recuar, eu não sinto prazer nele”. Pois não estamos entre os que recuam e perecem, mas entre os que têm fé e possuem a vida.